• RH Jr

7 dicas para lidar com a ansiedade na quarentena

O período de isolamento é propício para nos sentirmos ansiosos e estressados por causa das incertezas, do confinamento e da brusca alteração na rotina. Descubra algumas dicas que podem ajudá-lo a driblar essas sensações.




O distanciamento social, que a maioria das pessoas está vivendo, é uma situação sem precedentes nas últimas décadas. Ainda não há um horizonte nítido sobre como ou quando tudo isso irá acabar e voltaremos a viver uma vida normal.


Além disso, uma crise financeira também foi desencadeada pelo novo coronavírus. Assim, muitos encontram-se em uma situação difícil em relação a seus empregos e fontes de renda. Várias pessoas foram demitidas e as que foram afastadas, não sabem se ainda terão seus trabalhos quando voltarem.


A grande quantidade de tempo livre que se tem disponível agora também pode ser um vetor da ansiedade. Há uma pressão para utilizar esse tempo da maneira mais produtiva possível o tempo inteiro. As redes sociais contribuem com essa situação, mostrando sempre a vida de outras pessoas que parecem estar administrando seu tempo de uma maneira muito mais eficaz.


Pensando na complexidade do momento atual, elencamos algumas dicas para ajudar a lidar com a ansiedade que tem atingido ainda mais os brasileiros nesse momento. Confira a seguir:


Filtre o que você está vendo


Ligar a TV durante a quarentena ou acompanhar sites de notícias, que abordam o assunto diariamente, é algo essencial para se manter informado. É preciso estar a par das ações que o governo tem adotado para lidar com a pandemia, quais medidas restritivas precisam ser adotadas, quais são os hábitos de higiene corretos, como a doença tem evoluído em outros países, etc.


Mas é importante que essas doses de informações sejam consumidas com cautela. Se informar sobre tanta tragédia o tempo todo é desesperador. Há um senso de controle da situação quando nos mantemos atualizados, mas ele não corresponde à realidade.


Por isso, se você sente que assistir e ler tantas notícias sobre o coronavírus o tempo todo está lhe causando mais ansiedade, reduza esse acesso. Como foi dito anteriormente, isso não significa para de se informar, apenas dosar melhor esse conteúdo. Escolha algum momento do dia para fazer isso e depois, desconecte-se.


Todos estão mais ansiosos


De acordo com um estudo feito pela OMS em 2019, o Brasil é o país mais ansioso do mundo. Cerca de 9% da população sofre com os sintomas da ansiedade. Por isso, não é de se espantar que o isolamento social contribua ainda mais com esse quadro, afetando milhões de pessoas confinadas.


Saber que estamos todos no mesmo barco, pode aliviar um pouco o estresse. Se você conversar com amigos e familiares sobre isso, perceberá que a maioria tem experienciado um aumento da ansiedade.


Assim, é possível se sentir menos sozinho em relação a esses sentimentos, e entender que é completamente compreensível o aumento do estresse e da ansiedade durante o isolamento social.


Faça uma faxina virtual nas redes sociais


Ver várias pessoas que seguimos nas redes sociais conseguindo ser extremamente produtivas, justamente em um dia que você não conseguiu fazer nada, pode ser muito frustrante.


Por isso, talvez durante o período do isolamento, quando todos estão abalados e preocupados com a situação, você possa evitar esse problema de uma maneira bastante simples.


Primeiro, pare de seguir perfis com os quais você não se identifica mais. Depois, silencie quem está te gerando mais ansiedade sobre ser produtivo. Quando tudo voltar ao normal, ou quando você se sentir mais tranquilo, pode desmutar esses perfis, mas por enquanto, essa pode ser uma boa alternativa.



Pratique meditação


Meditar, realizar respirações diafragmáticas ou praticar o mindfulness é algo essencial no combate a ansiedade. Diversos estudos científicos já comprovaram os efeitos benéficos da meditação na diminuição dos sintomas da ansiedade.


Por isso, reserve um tempo diariamente para realizar suas respirações. Existem vários aplicativos e vídeos no youtube com meditações guiadas ou para iniciantes que podem auxiliar quem nunca tentou antes.



Busque auxílio psicológico


Como foi dito anteriormente, a situação de isolamento social é um grande vetor para o aumento da ansiedade. Por isso, essa é uma resposta normal ao que vem ocorrendo. Mas se o estresse e a ansiedade tem sido paralisantes para você, impedindo que realize tarefas cotidianas, provocando insônia ou gerando uma angústia profunda, talvez você deva buscar auxílio psicológico.


Muitos psicólogos têm realizado atendimentos online nesse período. Você encontra sessões de preços variados e até mesmo gratuitas. Essa pode ser uma grande ajuda no enfrentamento do isolamento e suas consequências. Clique aqui para encontrar ajuda.


Faça uma lista de coisas boas


Esse passo pode parecer impossível em meio a tragédia. Também pode soar como querer tapar o sol com a peneira. Por isso, ele deve ser feito dentro do possível, e só se você estiver se sentindo apto para isso.


Escreva em uma folha de papel tudo o que você conseguiu fazer neste período de isolamento social que foi bom e proveitoso. Não precisa ser algo como “aprendi um novo idioma” ou “pintei minha casa de novo”. Podem ser coisas como passar mais tempo com seus pais ou filhos, ler um livro que você vinha procrastinando, fazer um bolo… Coisas bem simples mas que ficarão registradas e você poderá consultar quando estiver se sentindo ansioso, improdutivo ou triste.



Assista filmes e leia livros


Essa dica está ligada ao passo anterior sobre não se manter conectado o tempo todo. Está tudo bem você querer fugir da realidade catastrófica em que estamos inseridos agora. Pessoas próximas a você podem estar adoecidas com o novo coronavírus, há a preocupação com os familiares e amigos de mais idade, as ruas não estão mais como eram antes…


Essa lista é infinita, mas acredito que estendê-la seria mais um vetor para a ansiedade. Por isso, permita-se escapar por algumas horas de tudo isso. Os livros e filmes de ficção são a forma perfeita de fazer isso. E ainda promovem o entretenimento.


Conclusão


A pandemia está afetando a todos de várias formas. Tente seguir as dicas acima, não se cobre tanto, fique em casa se puder e ajude quem está precisando e não tem tantos privilégios.


Entenda que a ansiedade agora é normal, mas se ela estiver sendo angustiante, é um sinal de alerta para buscar ajuda especializada. Por isso, faça tudo que estiver ao seu alcance para tentar se acalmar.


Para ler mais sobre produtividade saudável clique aqui.


Texto escrito por Luísa Raad

Produtora de conteúdo da RH Jr.


Siga-nos nas redes sociais

  • Instagram - White Circle
  • White Facebook Icon
  • White LinkedIn Icon

© 2020 por RH Consultoria Júnior- UFMG.