• RH Jr

4 dicas para manter a saúde mental na pandemia



Estamos a cerca de quatro meses vivendo a nova realidade que nos foi imposta pela pandemia do coronavírus. Apesar de já termos aprendido a lidar com algumas situações, precisamos estar sempre alertas com a nossa saúde mental nesse momento tão difícil.




A pandemia fez com que vivêssemos uma quarentena, que para muitos já chegou ao fim. Também fez com que nos preocupássemos mais com a nossa higiene, evitássemos aglomerações e nos afastássemos de pessoas queridas.


Apesar de já estarmos de uma certa forma, mais acostumados com essa nova realidade provisória, ela ainda é bastante inquietante e pode ser fonte de várias angústias.


São muitas as incertezas, sobretudo no Brasil, o segundo país mais atingido pela doença no mundo. Não sabemos como estará a economia ao fim disso tudo, tememos adoecer ou perder parentes e amigos.


Quando ligamos a televisão, entramos em algum portal de notícias ou até mesmo nas redes sociais, somos bombardeados com notícias bastante chocantes sobre o progresso da doença no país, e as condições precárias para suportar todos os enfermos.


Em meio a esse cenário, pode ser difícil se manter estável. É normal se sentir triste e ansioso. Ninguém estava preparado para isso. Mas mesmo que esses sentimentos estejam aflorando com mais facilidade em todos nós, é preciso estar atento e exercer algumas práticas para não se descuidar da saúde mental.


Podemos acabar sufocados com toda essa situação e deixar o nosso bem estar psicológico de lado. Mas esse é um grande problema. Se você não cuidar desse aspecto tão fundamental da sua vida, dificilmente conseguirá atravessar o fim dessa pandemia com tranquilidade.


Por isso separamos algumas dicas que podem ajudá-lo a estabilizar a sua saúde mental e caminhar por esse cenário caótico de uma forma mais leve.



1. Se informe moderadamente


É preciso se atualizar sobre o progresso da doença e sobre seus impactos no Brasil e no mundo. Mas esse consumo de informação deve ser feito respeitando os seus próprios limites.


O ideal é buscar esses conteúdos uma ou duas vezes por dia, para que não haja um desencadeamento de ansiedade ou de pensamentos catastróficos. Mas é claro que isso é algo muito particular que vai variar de pessoa para pessoa.


Mas tente não viver isso 24 horas por dia, apesar de termos algumas informações promissoras sobre o avanço da vacina, países que já saíram completamente da quarentena e o esvaziamento de leitos médicos aqui no Brasil, o número de informações negativas ainda é muito maior.



2. Fique próximo virtualmente das pessoas que você ama


Não podemos nos encontrar com familiares e amigos ainda. Essa foi uma grande alteração na rotina de todos nós e que pode facilmente nos desestabilizar emocionalmente.


Mas ainda não é seguro realizar encontros, por isso esse é o momento de usar a tecnologia ao nosso favor. Realize vídeo chamadas, converse mais frequentemente pelos chats virtuais, mande presentes pelo correio… Existem várias maneiras de nos mantermos próximos ainda que distantes.


É claro que não é equivalente aos encontros presenciais, mas é uma forma de diminuir o sentimento de solidão, que muitas vezes pode ser desesperador, e conseguir cuidar e acompanhar a vida daqueles que são importantes para você.


3. Tenha momentos de ócio


Acredito que já houveram várias fases durante o isolamento social. No início todos queriam aproveitar o tempo livre para fazer o que não podiam quando estavam ocupados com outras tarefas.


De certa forma, a essa altura ainda existe uma pressão para preencher todo o nosso tempo livre com alguma atividade “relevante”, apesar de já ter diminuído. Mas é importante lembrar que ter momentos de ócio e lazer é extremamente importante.


Você não precisa sair dessa pandemia falando um novo idioma ou com um diploma de graduação. Esse é um momento atípico, e precisamos conduzi-lo de uma forma saudável e equilibrada.


Por isso, aproveite seu tempo livre extra para praticar seus hobbies, ficar mais tempo com a sua família (se ela estiver passando a quarentena com você), assistir um filme ou não fazer absolutamente nada.


O excesso de atividades pode ser muito estressante e vai fazer com que novas auto cobranças desnecessárias surjam. Por isso fique atento com o desejo de ser extremamente produtivo.


4. Procure ajuda psicológica


Acompanhamento psicológico é sempre bem-vindo, ainda mais em momentos de incerteza. Se você estiver se sentindo muito angustiado, com um sofrimento excessivo, uma tristeza persistente ou com crises de ansiedade, talvez seja o momento de buscar ajuda especializada.


Existem vários profissionais que oferecem atendimentos a preço social (abaixo do valor de mercado), além de plataformas que fazem essa mediação, como a vittude. E esses atendimentos podem ser realizados de maneira remota.


Por isso não exite em recorrer a esse auxílio. Com certeza ele fará toda a diferença na saúde mental.


Esperamos que essas dicas possam ser úteis e ajudem de alguma forma nesse momento. Para ler mais sobre o nosso conteúdo especial sobre a pandemia, clique aqui.


Texto escrito por Luísa Raad

Produtora de conteúdo da RH Jr.


Siga-nos nas redes sociais

  • Instagram - White Circle
  • White Facebook Icon
  • White LinkedIn Icon

© 2020 por RH Consultoria Júnior- UFMG.